Histórias de startups

Growth Culture: como a Revelo integrou o time de Growth em squads e alcançou maior escalabilidade

As dicas de Growth Culture da Revelo

A Revelo existe há sete anos e é uma plataforma de carreira para profissionais digitais. Além de trabalhar com capacitação em habilidades técnicas, também facilitamos o processo de  recrutamento para empresas que estão em busca desses talentos. Somos uma empresa que já nasceu com mentalidade baseada em Growth e que trata esse conceito como algo distinto de marketing, quando se fala em performance.

Ao contrário do que muitas práticas de mercado ditam ser a fórmula do sucesso, separar Growth de marketing e integrá-lo a áreas como tecnologia e produto ajudou a Revelo a ser muito mais eficiente e escalável. Desde o último trimestre de 2020, mudamos a estrutura organizacional do time de Growth e passamos a dividi-lo em squads [times multidisciplinares focados em um segmento de atuação específico] compostos por profissionais de Produto, Tecnologia e Design, o que nos garantiu mais alinhamento e agilidade na definição e execução dos projetos, e também nas tomadas de decisão. Com essa integração, passamos a atuar de forma mais colaborativa e alinhada em termos de métricas e objetivos.

Nesse artigo aqui, explicamos em detalhes como fizemos essa estruturação e os impactos positivos que ela teve no nosso dia a dia.

Reestruturando os squads

Essa integração propiciou uma gestão muito mais precisa dos nossos investimentos, além de garantir um custo saudável de aquisição de usuários.

Como uma startup que já nasceu com a mentalidade voltada à performance, Growth se faz essencial para nós, uma vez que oferecemos um marketplace que atende os dois lados de uma mesma moeda: a oferta e a demanda de talentos. Para isso, não apenas contamos com uma área robusta de Growth, como decidimos que integrá-la aos times de tecnologia e produto seria a forma mais eficiente de garantir a escalabilidade da plataforma. Essa integração propiciou uma gestão muito mais precisa dos nossos investimentos, além de garantir um custo saudável de aquisição de usuários.

Existem inúmeros benefícios em juntar esses times. Quando integrados, são capazes de priorizar tarefas de forma eficiente e pensar em melhores alavancas, trabalhando em prol do mesmo objetivo de negócio e diminuindo os índices de retrabalho. Quando um time entra para um squad, todas as competências se juntam em apenas um lugar e isso gera mais agilidade nas entregas e dinamismo no ritmo do trabalho.

Além disso, ganhamos muito em padronização de resultados a partir da definição dos esquemas de trabalho, fazendo com que todos olhem para as mesmas métricas. Existe uma priorização mais eficiente das tarefas, que proporciona a visão ampla de todo o escopo, contemplando o custo e duração de cada projeto. Claro que alguns desafios sempre surgem no meio do caminho, mas entendemos que, quanto mais comunicação houver entre os times, mais fluida se torna a rotina de trabalho.

No começo, é difícil acertar a linguagem, porque cada área olha para coisas diferentes e possui suas respectivas métricas. Por conta disso, um trabalho de readaptação é essencial para garantir a produtividade de todos os integrantes das equipes - esse, inclusive, é um dos maiores desafios para a integração entre as áreas de performance e marketing. Por isso, fizemos diferente e aproximamos Growth das áreas de produto e tecnologia, ao invés de integrá-lo ao time de marketing.

Pode parecer loucura separar dois assuntos considerados tão afins para grande parte do mercado, mas o fato é que as nossas métricas de saúde melhoraram muito com essa prática. O nosso produto Revelo UP, por exemplo, conseguiu ganhar mais escala em termos de candidatos, ou seja, as conversões ficaram melhores e maiores. Além disso, o volume de contratações subiu 52% desde então. Muitos projetos acontecem mais rapidamente, porque ganhamos agilidade no teste de novas funcionalidades, além de controle total sobre o custo de aquisição de clientes.

Dicas valiosas

Para escalar com eficácia, a nossa primeira dica é buscar a eficiência, entendendo e priorizando suas alavancas. Manter as coisas simples e sem muita complexidade também é uma recomendação super importante. Aqui na Revelo é de lei buscarmos fazer as coisas da forma mais simples possível, o que nos permite testar e lançar novas funcionalidades rapidamente. Mas é importante, antes de testar, que você tenha em mente como vai mensurar os resultados dessas implementações. Isso foi algo que ganhamos ao criar os squads, porque conseguimos ser muito mais analíticos ao medir os resultados.

Para finalizar, observamos que essas três áreas - Growth, Produto e Tecnologia - se integram muito naturalmente, e todos têm a possibilidade de ampliar suas visões ao trabalharem com pessoas mais diversas, com backgrounds diferentes. No fim das contas, isso reflete em bons resultados para a empresa, e todo mundo sai ganhando.

Revelo no Growth Academy

Mesmo sendo uma empresa growth-driven, enxergamos no programa do Google for Startups uma boa oportunidade para aprimorarmos a nossa estratégia e amadurecer futuras ideias. Tanto as sessões de mentoria quanto a troca com as outras startups foram extremamente importantes para trazer insights e ampliar a nossa visão ao pensar em coisas que geralmente não contemplamos no dia a dia.

Durante o período, pudemos trabalhar nosso conteúdo de uma forma mais aprofundada e aprimorar nossas comunicações. Fizemos inúmeros testes de anúncios e landing pages e muitos desses aprendizados já estão rodando nas nossas novas campanhas. Outro ponto importante são os frameworks com os quais tivemos contato, que ajudam a dar estrutura para os testes e nos trazem visibilidade do que pode ser melhorado.

Do ponto de vista macro, 80% das nossas vendas estão fora do Brasil e, para a Revelo, é muito importante ter as melhores referências de mercado - e é aqui que o Growth Academy e seus mentores entram, apresentando abordagens e estratégias de growth comprovadas que certamente contribuirão muito para a continuidade de nossa jornada.

Saiba mais sobre a Revelo

Categorias:

Recursos Humanos América Latina