Histórias de startups

Dos primeiros passos aos desafios de crescimento: como a Creators se transformou ao longo dos anos ao lado do Google for Startups

Conheça a Creators

A vida de freelancer pode parecer incerta para muitas pessoas, mas esses profissionais são demandados por diversas empresas para projetos que exigem um processo criativo. É dentro desse universo que a Creators encontrou o seu modelo de negócio, que vem evoluindo com o apoio do Google for Startups desde 2019.

Formado em publicidade, Rodrigo Allgayer trabalhou como diretor criativo em algumas agências do país, até que começou a experimentar uma forma de trabalho independente, e conheceu duas rotinas: a de ser um freelancer e a de contratar outros colegas autônomos para grandes projetos. Com isso, ele passou a estruturar uma ideia de plataforma que realizasse essa gestão e conexão entre os profissionais e as empresas que precisassem dos seus serviços e, em 2017, se uniu à esposa Nohoa Arcanjo para fundar a Nosotros.

A Nosotros nasceu na casa e das reservas pessoais de Rodrigo e Nohoa e percorreu uma longa jornada até se tornar a Creators de hoje em dia. Um dos primeiros passos desse trajeto foi a participação deles no Startup Zone, programa do Google focado no apoio a startups brasileiras em estágios iniciais, em 2019. Eles não sabiam, mas aquilo não seria um simples degrau a mais para a empresa, mas sim o começo de uma grande transformação.

Novo nome, nova marca

Quando entraram no Startup Zone, em outubro de 2019, Rodrigo e Nohoa começaram a conversar com um investidor que sugeriu um rebranding da empresa, incluindo uma mudança de nome e produto. “O suporte do programa nos deu segurança, estrutura e conhecimento técnico para colocar o novo produto para rodar. Também aprendemos muito sobre modelo de negócios e a importância de pesquisar a opinião e necessidades dos clientes e dos talentos da nossa rede para colher mais informações e melhorar o fit do produto com o mercado. Afinal, como o André Barrence [diretor do Google for Startups para América Latina] nos disse várias vezes, isso é um dos fatores mais importantes”, explica Nohoa Arcanjo sobre essa etapa da empresa.

A dupla iniciou testes com a nova marca em dezembro daquele ano, e a Creators nasceu oficialmente em fevereiro de 2020. Porém, logo em seguida, com o avanço da pandemia da COVID-19 no Brasil e a aplicação das medidas de distanciamento social, a startup se viu impedida de fazer o lançamento do novo nome por meio de ações presenciais, como planejavam. “Foi difícil emocionalmente, pois gostávamos muito do nome Nosotros e a comunidade também sentiu, pois todos se identificavam com ele. De qualquer forma, a mudança foi muito positiva para o nosso negócio”, conta Nohoa.

Novo nome e posicionamento ajudaram a criar reputação e conquistar novos clientes.

Evoluindo com o Programa de Residência

O período da pandemia foi desafiador para a startup, especialmente entre maio e junho de 2020, quando muitas empresas fizeram ajustes e diminuíram as verbas para comunicação, o que impacta a demanda pelos serviços dos freelancers. Mas a Creators encontrou um alívio logo depois, quando foi selecionada para o Programa de Residência do Google for Startups, junto a outras nove startups em estágios avançados de crescimento.

Durante os seis meses de participação no programa, tiveram sessões de mentoria para lideranças, o que ajudou a fortalecer a parte emocional durante a pandemia, além de trocas com outras startups que trouxeram insights sobre ferramentas e diversos conceitos.

A Creators chegou ao programa com objetivo de melhorar o seu processo de vendas e consequentemente os resultados. “Tivemos o curso de vendas outbound, que nos ensinou a estrutura ideal de uma boa máquina de vendas, a qual estamos iniciando agora e já vemos resultados positivos. Nas sessões de mentoria, entendemos a importância de estruturar nosso processo de vendas e de implementá-lo durante a crise, que se mostrou o momento ideal para acelerar o modelo de aquisição de clientes que estávamos planejando”, relembra Nohoa.

Tudo isso somado ajudou a Creators a aumentar o faturamento de 2020 em 65% comparado ao de 2019. Além disso, este ano começou aquecido com um aumento da carteira de clientes assinantes e, ao chegar à metade de 2021, o faturamento comparado a 2020 inteiro já registrou crescimento de 94% do valor transacional e de 56% da receita bruta.

Resultados da Creators após o Programa de Residência.

Funding Black Founders

Enquanto ainda estavam no Programa de Residência, a Creators foi selecionada para a primeira leva de investimentos do Black Founders Fund, fundo voltado para startups fundadas e lideradas por pessoas negras no Brasil.

Acesso a conhecimento é um privilégio que muitas pessoas negras não têm.

O aporte foi de grande auxílio para implementar uma máquina de vendas que trouxe os bons resultados registrados no começo de 2021. O investimento também permitiu que aumentassem o time de quatro para nove pessoas, com foco na atração de profissionais com perfis diversos, como pessoas negras e trans, e a primeira contratação para nível de gerente. “O principal impacto de ter uma Head de Operações num time pequeno será nos deixar mais livres para focar na busca de investimento”, afirma a cofundadora.

Entrar para a rede do Google for Startups também trouxe o maior projeto da história da Creators: uma curadoria e contratação de 80 influenciadores por cinco meses. “A conexão com o Google foi essencial para acelerar nossa entrada no Marketing de Influência, um mercado que tem a previsão de atingir US $15 bilhões em 2022 e que fazia parte do nosso plano de crescimento desde a mudança do nome para Creators”, completa Nohoa.

Saiba mais sobre a Creators

Saiba mais sobre o Startup Zone, o Programa de Residência e o Black Founders Fund

Categorias:

Recursos Humanos América Latina Histórias de startups