Startup story

As soluções da ChatClass para democratizar o ensino de inglês no Brasil

Equipe da ChatClass no Google for Startups Campus, em São Paulo

Murilo Amorim é um jovem morador de Ibotirama, município situado na Bahia com pouco mais de 27 mil habitantes. Ele faz parte dos 5% da população brasileira que sabe falar inglês, índice revelado no último levantamento da organização internacional British Council.

A falta dessa habilidade reduz o leque de oportunidades profissionais, cria barreiras de comunicação e de troca entre culturas – e esse é o problema que a ChatClass está disposta a resolver. Com apoio do Google for Startups, a empresa vai dando passos rumo à democratização do ensino da Língua no Brasil. Foi graças à edtech que o vídeo do Murilo chegou até o prefeito da cidade, que fez questão de compartilhar a conquista do aprendizado do idioma nas redes sociais da Prefeitura de Ibotirama.

História

A ChatClass, fundada pelo alemão Jan Krutzinna, tem como objetivo levar um ensino de inglês de qualidade e acessível para brasileiros de qualquer idade, principalmente alunos e professores da rede pública de ensino no país. A edtech tem atualmente um robô de ensino que utiliza Inteligência Artificial para sugerir atividades de fala, escrita e leitura do idioma, além de fazer correções automáticas nos textos dos alunos. Tudo isso acontece dentro do WhatsApp, aplicativo instalado em 99% dos celulares no Brasil, de acordo com o Panorama Mobile Time/Opinion Box.

A ChatClass também auxilia professores, funcionando como um assistente digital. O professor seleciona os conteúdos gerados pelo robô no WhatsApp, os disponibiliza para a turma e os exercícios têm correção automática, o que facilita o dia a dia do educador. Hoje a  startup já impacta mais de dez mil professores e mais de 400 mil alunos, sendo que 75% deles são de escolas do sistema público de ensino.

Para chegar a esse patamar e expandir a sua atuação no país, Jan e sua equipe investiram no que mais dominam: comunicação e troca de experiências – neste caso, com outras startups. Com um aporte inicial de investimento de mais de R$ 3 milhões, voltou a atenção para o que o mercado de inovação poderia oferecer. Desde o seu lançamento, esteve em diferentes programas de aceleração, incluindo duas passagens pelo Programa de Residência.

Dobradinha

A ChatClass iniciou seu relacionamento com o Google for Startups em 2019, quando foi selecionada para a 4ª edição do Programa de Residência, turma voltada para o desenvolvimento de soluções ligadas a assistentes virtuais e interface por voz. Naquela época, o Brasil realizava 20% das suas buscas por voz e o maior acesso do Google Assistente era por mobile – recurso já utilizado pela edtech.

A participação na 4ª turma ampliou a presença da ChatClass no ecossistema de startups, conta Jan.

O Programa trouxe benefícios. Além do desenvolvimento do produto e mentorias do Google, a troca com outros empreendedores foi muito importante.

Assim, a ChatClass foi ganhando espaço no mercado brasileiro: promoveu, junto com a Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil, a 1ª Olimpíada de Inglês do país e  popularizou o uso da plataforma entre os educadores e alunos de todo o Brasil. Também iniciou parcerias com Secretarias Estaduais de Educação, fornecendo formação online e gratuita aos professores da rede para utilizarem o método de ensino – movimento que se tornou fundamental com a chegada da pandemia da COVID-19.

"Quando o distanciamento começou, muitos professores se viram forçados a utilizarem tecnologia, mesmo que não houvesse familiaridade. A ChatClass, combinando sua plataforma simples de usar com a capacitação de milhares de professores de redes públicas, ajudou os educadores a garantirem que o inglês chegasse aos seus alunos”, explica o founder.

Em maio de 2020 a edtech retornou ao Programa de Residência, integrando a 5 turma. Com a experiência durante a pandemia e a nova parceria com as Secretarias de Educação – ou seja, aumento exponencial na procura pela startup – os seis meses de programa ajudaram o fundador a avaliar com maior profundidade as práticas de User Experience e as estratégias de captação de recursos.

Krutzinna contou com a ajuda da Googler e especialista em UX, Anna Potanina, para estabelecer um roadmap do produto com uma visão 360º da jornada do usuário. Já o ex-Googler e Conselheiro na Founder Bay, Punit Aggarwal, conduziu um Programa de Resiliência e Liderança para lançar luz sobre os desafios pessoais e de gestão de equipes.

O aumento de alcance da ChatClass comprova a efetividade da aceleração: atualmente, a edtech é parceira de cinco Secretarias de Estado de Educação – do Ceará, Bahia, Maranhão, Acre e Pernambuco – e já impactou 79 mil alunos nesses estados em 2020. Além disso, só no Ceará, Bahia e Pernambuco tem 4,5 mil professores cadastrados nos cursos para uso da plataforma.

As sessões de mentoria também foram importantes para o fundador aprender mais sobre storytelling e a abordagem ideal com investidores. Agora, a startup prioriza levantar uma rodada de investimentos.

Fala, professor

Professores dos cinco estados reconhecem a relevância da ChatClass na dinâmica de ensino de inglês. A professora Antonia Carneiro, que atua na Secretaria Estadual do Ceará, está com a rotina mais estruturada após o uso da plataforma. "De todas as possibilidades que essa ferramenta apresenta, a que mais me encanta é a correção automática, pois ajuda tanto os estudantes, quanto o professor em sua carga de trabalho remoto, que está desgastante.”

Já a Roberta Peixoto, professora na Bahia, reconhece a facilidade no uso do WhatsApp como plataforma de interação, principalmente para aqueles que têm pouco acesso à tecnologia. "Muitos alunos que têm dificuldade de acesso à internet, principalmente agora na pandemia, conseguem acessar mais facilmente a plataforma WhatsApp e fazer a interação com o robô, devido à liberação de algumas operadoras”, relata.

Para Jan Krutzinna, o mais importante é proporcionar uma boa experiência para professores e alunos, possibilitando a prática da fala de inglês de forma engajante e completa. E, claro, que as possibilidades de carreira sejam infinitas para 'outros Murilos' do nosso país. "Queremos que os milhões de estudantes e professores das redes públicas de todo o Brasil melhorem as técnicas de ensino e aprendizado de forma fácil e criativa, estejam eles nos grandes centros ou no interior. O Inglês abre portas e a ChatClass quer oferecer chances reais de desenvolvimento do idioma”, finaliza o founder.

Saiba mais sobre o Programa de Residência

Acompanhe a ChatClass no YouTubeInstagramLinkedIn e Facebook

Categorias:

Educação América Latina Histórias de startups